O falso poder e a opressão

Quantas vezes sofremos com situações onde nos sentimos oprimidos pelo poder econômico. Vivemos em uma realidade comandada pela necessidade constante de obtenção de recursos financeiros e, em grande parte, nem se trata de querer mais. Apenas queremos manter a qualidade de vida que escolhemos para nós.
Como podemos mudar essa postura de dependência não só dos recursos, mas especialmente de quem acreditamos deter o poder de criar recursos?
A questão da opressão incomodou-me profundamente desde sempre, por essa razão procurei entender como desfazer isso.
A princípio culpava, depois, quando passei a ter uma atividade onde dependia do trabalho de funcionários, compreendi que a opressão vinha de um poder que estava sendo dado ao opressor e comecei a mudar meus padrões de comportamento, tanto em relação a quem “dependia” de mim, procurando não utilizar-me do “poder” que me era dado, como em relação a quem eu “dependia” , deixando de lhes dar “poder”.
Passei a aceitar que tudo é criado por uma única Fonte. Ela nos fornece o que necessitamos ou escolhemos obter e é a ela que devemos nos voltar sempre, nunca para quem possui recursos ou nos paga para realizar algo, embora seja de extrema importância realizar nossas atividades com amor e dedicação.
Nascemos para ser livres, e a liberdade que merecemos deve ser acompanhada de responsabilidade e não culpa. Ao nos responsabilizar cem por cento por nós mesmos, teremos apoio vindo de nossa Essência, já ao culpar ou nos sentir culpados estamos dando permissão para sermos explorados e oprimidos. E é nos voltando para o nosso Interior que desfazemos as dependências e deixamos que a opressão e os sentimentos decorrentes dela, como o medo e a mágoa, continuem fazendo parte do nosso andar .
A Fonte que tudo Cria, Apura e Transforma está no nosso interior. Por meio da nossa Essência a acessamos. Para tanto precisamos aprender a nos voltar para dentro. Deixando que nossas necessidades e buscas venham a nós naturalmente.
Essa atitude transformará tudo ao nosso redor, deixaremos de tentar agradar para obter algo, preservando nossa auto estima e também aprendemos a ser gratos por todo e qualquer ganho que obtivermos. Nossa gratidão será dirigida à Essência em primeiro lugar, o que não nos impede de demonstrá-la a quem serve de instrumento, mas seguros de que o poder de Criar o que nos foi oferecido está além.

Autora dos livros:
A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox
A Comunicação por meio do Amor – Editora Scortecci
Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s