A dor da posse

Percebo que boa parte de nosso sofrimento está embasado na necessidade de posse.  Posse de bens, posse de determinada pessoa, posse de status, de cargo, etc. etc.

Muitas vezes, para não sofrer, optamos em desistir de ter um lar aconchegante, o relacionamento afetivo que sonhamos, o trabalho que nos realiza e remunera, pois não conseguimos suportar a pressão interna que o desejo da posse instiga. Aí negamos essas escolhas e vivemos uma vida limitada e dependente.

Mas a linda verdade é que podemos vivenciar tudo isso e muito mais, sem posse, ao escolher o Perdão em nossas realizações. Pois a questão não é deixar de morar em uma linda casa, conviver com as pessoas que amamos, ter um lugar na vida social, ter uma atividade, a questão é não nos sentirmos donos!

Quando optamos pelo Perdão descobrimos uma realidade fluída, onde há uma contínua mudança, e deixamos de nos apegar ao que ou a quem estamos convivendo.

E ao permitir o desenrolar dos fatos, sem nos apegar aos resultados, sem querer que seja desta ou daquela forma, deixamos de sofrer e criar sofrimento àqueles com quem convivemos.

A “posse” de um resultado é o que nos mantém ansiosos, angustiados ou infelizes. Quando soltamos o nosso querer de que algo seja desta ou daquela forma, estamos permitindo a ausência de posse do resultado. Saberemos então, quando o fato se concretizar, que não detemos o poder sobre o resultado e sim que fomos agraciados por ele. Dessa forma, a arrogância do “eu” não estará presente. A humildade em nada saber e aceitar estar aqui em um processo de aprendizagem sobre Quem somos toma o seu lugar.

Quem somos é o responsável pelas nossas criações. Não somos o que pensamos, não somos o que fazemos, somos muito, muito mais. Estamos ligados à energia da Criação e para que percebamos o verdadeiro sentido de nossa existência, é necessário entregar nossas escolhas e nos mantermos juntos do Amor que está no nosso interior.

Não se trata aqui de uma crença e sim de uma constatação!

Ao iniciar um processo de mudança, percebi que não mais queria vivenciar brigas e confusões, fossem de que ordem fossem. Inicialmente, apenas um desejo, que foi entregue. Em seguida um processo onde aprendi sobre os reflexos daquilo que eu sentia. Percebi claramente que era a responsável por tudo o que estava acontecendo, e escolhi mudar os sentimentos de negativo para positivo, para isso foi necessário aprender sobre entrega, onde o rancor e a raiva deram lugar ao Perdão e, aos poucos, a transformação foi acontecendo, mudando a minha maneira de olhar a vida, trazendo novos e agradáveis relacionamentos e refazendo antigas relações, onde posso exercitar o que aprendi.

Não foi fácil e não é um conto de fadas se eu preferir não olhar assim, mas que é muito melhor do que a nossa crença em uma realidade imutável, isto é!!

Desfazer a ideia de posse é fundamental para que vivamos uma existência fluída e rica em acontecimentos que nos levem à plenitude e abundancia. Não teremos domínio sobre o que acontece, mas estaremos seguros de que, embasados no Amor – por meio do perdão aos fatos que nos desagradam –  só o positivo e bom permanece junto de nós!

Autora dos livros
A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox
A Comunicação por meio do Amor – Ed. Scortecci
Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s