O Amor o que é?

No texto anterior falei sobre o lar aconchegante existente no interior de cada um, uma linda descoberta de alguns anos atrás, quando despertei para o sentimento de Amor.
Como o Amor verdadeiro era um ilustre desconhecido, me surpreendi com sua presença e logo O dispensei e no seu lugar coloquei uma paixão. Percebia que o Amor era mais do que ela mas, insegura, fui tomada pelo medo e voltei-me para a conhecida paixão.
Mas o Amor não me abandonou e sabiamente utilizou-se da paixão para me levar adiante. Ficou ao meu redor, mostrando-me pessoas e atividades que O representavam. A paixão ele afastou para que não me perdesse nela. Levou-a para bem longe, onde eu não veria seus defeitos ou os meus refletidos, deixando-me acreditar nela até eu aceitar a presença do Amor, sem temê-lo.
O Sentimento para o qual despertei é uma Força poderosa que emergiu de meu interior em um momento lúdico de grande prazer. A sensação de que havia algo mais e a percepção da unidade me fizeram saber que, a partir dali não seria mais na escuridão do desamor que continuaria vivendo.
Então o que é o Amor senão uma Energia existente no interior de nós? Para ser descoberta precisa apenas que nos aprofundemos em algum tipo de prática ou condução – a minha foi o Um Curso em Milagres – e queiramos vivenciar nossas relações a partir desse Sentimento.
Lembro também que ao sentir a presença do Amor, percebi que não queria “tirar proveito” de qualquer pessoa ou situação. Queria apenas amar…e isso era tudo e isso bastava!
O difícil não é descobrir o Amor, o difícil é nos mantermos juntos dele. Antes de eleger uma paixão, várias outros amores surgiram e sempre eu queria manter o sentimento puro, terno, cálido, dentro de uma caixinha de segredos no meu peito, que posso traduzir por coração.
Queria mantê-lo em segredo para não desfazê-lo com as elucubrações do ego, que rapidamente desfaz qualquer bom sentimento dando notas e fazendo julgamentos com sua habilidade incrível de afastar o amor.
Para mantermos o Amor em nós não precisamos do outro – isso é apego. Devemos apenas eleger a presença desse Sentimento em nossos relacionamentos. É do sentimento de Amor que precisamos, não das pessoas. O Amor vem primeiro, está à frente e ele mesmo proporciona o que necessitamos que as pessoas nos ofereçam, através daquelas com as quais vamos evoluir passando-o adiante.
E a paixão, o que fazer com ela? Muito se fala que paixão não é amor, que amor é o que fica depois da paixão ir. Não precisamos fazer nada com a paixão, apenas inverter o processo e deixar o Amor ficar e ela irá abrandar até ser desfeita e totalmente substituída por esse poderoso e divino Sentimento.
Ao sentí-Lo e aceitá-Lo, vamos querer que todos O conheçam e assim faremos, não precisando nos esforçarmos pois a sabedoria que emana dele fará isso por nós.
Eleger e manter a presença do sentimento de Amor dentro de nós, depende de um exercício constante de aceitação e Perdão dos fatos onde não O percebemos e também naqueles onde o apego está travestido de amor.
Esse exercício, em princípio não é fácil, mas na medida em que começamos a praticá-lo, veremos que é muito melhor do que viver em meio aos conflitos provocados pela ausência de Amor, pois a falta de aceitação e perdão é falta de Amor.
Amor é uma Força que também é rendição, é deixar de querer ter razão, é abandonar as defesas e aceitar os fatos como são, deixando que o que é simplesmente seja!

Autora dos livros
A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox
A Comunicação por meio do Amor – Ed. Scortecci
Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s