Disputa, competição e o “sabor” do Perdão

Na esteira da ambição estão a disputa e a competição. São esses dois sentimentos que costumam levar adiante projetos e relacionamentos. Enquanto houver outros interessados a motivação é instigadora. Já, quando não percebemos interesses paralelos, podemos deixar de nos aprofundar no projeto ou cuidar do relacionamento.

Uma vivência assim é sem sentido, nos deprime e adoece, não por desejarmos algo mas  porque essa forma de realizar é destruidora. E desconhecendo outra forma de agir, quando um “concorrente” ameaça o nosso êxito ou posse, tentamos nos manter ativos e nos desgastamos muito.Outra possibilidade é desistir tanto do projeto como do relacionamento e aí a ambição coloca rapidamente outro projeto e/ou relacionamento em nossa mente. Que, possivelmente nos levará ao ponto de partida.

Qual é a formula para seguir em nossas realizações sem nos sentirmos disputando ou competindo?

A fórmula está em aceitar a presença e a ação de quem está interessado também.

E em seguida entregar para a nossa Essência optando em perdoar, tanto o nosso interesse como o interesse do outro  em continuar na busca pelo mesmo ideal.

Sabemos sobre a abundância existente no Universo, sabemos também que a Sabedoria é quem realmente pode nos oferecer o que nos trará felicidade, preenchendo-nos  com o que e quem verdadeiramente nos deixará realizados. Porque, então, continuar com o sentimento de disputa e/ou competição?

De alguma forma sabemos  que  o resultado final é irrelevante para qualquer projeto ou relacionamento , o que realmente importa são os sentimentos que vivenciamos enquanto  estamos envolvidos neles, isto porque nada tem verdadeiramente um final, são etapas de um processo de realização e evolução. Portanto eleger um sentimento  amoroso durante o andamento do mesmo, é seguramente mais produtivo e saudável.

Ao aceitar a presença de outro que, aparentemente, tem a mesma busca que nós – utilizando-nos da sabedoria existente em nosso Interior – aquilo que nos trará felicidade certamente virá até nós, mas no momento em que estivermos preparados para receber e usufruir com Amor.

Infelizmente, as disputas e competições tem o desamor presente e ao receber nossas escolhas com esse sentimento, iremos nos desfazer delas rapidamente, encontrando defeitos e menosprezando ou ainda acreditando ser demais para nós.

Já, ao realizar com a presença do Amor, vindo da aceitação e perdão aos fatos que levam o processo até o final, vamos receber e usufruir nos sentindo merecedores, nem mais nem menos do que quem poderia estar interessado nesse resultado, apenas igual.

É seguro que, se durante o andar para a realização utilizamo-nos do Amor, ele também estará agindo em favor do outro, oferendo  o que realmente o fará feliz.

Na competição ou disputa, existe algo chamado escassez em nossos pensamentos: acreditamos que existe apenas uma pessoa que nos fará feliz, que apenas o nosso projeto é interessante e valioso e que, se não “lutarmos para ganhar” do outro, deixaremos de ser amados e felizes, quando é com a aceitação e a entrega – desistindo do desamor – que o seremos.

O egoísmo em não querer que o outro também tenha êxito é que nos impede de colocá-lo ao nosso lado durante o andar para a realização.De fato não é fácil administrar os sentimentos de desamor que surgem durante as competições e disputas, e não é isso que estamos dizendo. O que realmente devemos fazer é apenas Aceitar, Entregar e optar por Perdoar. A administração dos sentimentos é feita pela Sabedoria existente em nosso Interior, não por nós.

Ao dar a  mão – por meio da aceitação e perdão  ao outro – aceitamos também a igualdade em Essência que somos. Aí, a abundância existente  virá para junto de todos que, sem perceber, estarão unidos no propósito de apurar e transformar seus sentimentos de negativo para positivo, do desamor para o verdadeiro Amor.

O equilíbrio, a paz e a alegria genuínos  com que seremos brindados durante as realizações farão de nós pessoas verdadeiramente comprometidas em passar adiante, por meio do sentimento que emanamos, essa simples e poderosa forma de realizar.

Autora dos livros

A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox

A Comunicação por meio do Amor – Ed. Scortecci

Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s