A felicidade do outro é a minha!

Essa compreensão difere da que dizemos superficialmente:   “a tua felicidade é a minha”, por que nos leva a aceitar a unidade. Ao não conseguirmos ver as outras pessoas felizes, obtendo sucesso e vivenciando relacionamentos agradáveis, também não aceitaremos a nossa própria felicidade.

Após muita introspecção e uso de técnicas de liberação da energia de desamor, acordei para a consciência de que se eu não aceitar ver a felicidade do outro, mesmo acreditando que ele teria me magoado ou prejudicado, não estaria aceitando viver plenamente a minha.

Despertar para essa consciência é difícil, mas valioso e libertador. Especialmente quando experimentamos o desfazer de um relacionamento afetivo ou não estamos obtendo sucesso em nossa atividade ou apenas não estamos vivendo a abundância que muitos vivenciam.

Ver o outro  uma nova relação ou tendo sucesso pode nos deixar tristes e incomodados. Acreditamos que, ao não aceitar isso com amor, estaríamos impedindo a felicidade dele, quando na verdade estamos impedindo a nossa, pois o sentimento é um só, é fluído, não é estanque, ele age através de nós.

Quem não está sendo amado ao sentir desamor pela alegria do outro? É quem está incomodado e não o outro que vivencia a sua alegria! Isso é tão simples mas nem sempre conseguimos nos dar conta do quão prejudicial é a não aceitação da felicidade alheia.

Essa mudança de visão e sentimentos também é de extrema valia para a abundância que escolhemos ter. Devemos ser grato pelo outro estar vivenciando-a, independente de como e quem a vivencia. Aí, só aí, poderemos vivenciar a nossa.

Possivelmente perduram sentimentos de ciúme e inveja dentro de nós, mesmo que não queiramos olhar para eles, mas ao optarmos em aceitar e entregar para a divindade escolhendo o Perdão, aos poucos eles deixarão de existir.

Somos humanos e estamos aqui para evoluir em direção à compreensão da Unidade. Podemos e devemos nos perdoar diante de sentimentos contrários ao Amor, pois tudo o que não gostamos em nós quando passamos a amar, se desfaz.

Aceitar que a felicidade do outro é também a minha transforma positivamente o nosso andar, iremos constatar o quanto deixamos de ser felizes e de realizarmos por não aceitarmos ver com alegria, no outro, o que queremos para nós.

Costumamos não perceber o nosso incomodo com a felicidade e as realizações alheias, desviamos o olhar e evitamos participar demonstrando desinteresse. É válido não interagir quando nos sentimos assim, mas é igualmente importante ir fundo em nosso Interior e trazer à tona o porquê desse desconforto. E quando ele emergir, aceitá-lo e tomar consciência de que só sentindo Amor pela felicidade que o outro sente é que, verdadeiramente, seremos felizes e realizados.

Venho, ao longo dos anos, aprendendo sobre o amor incondicional e só agora percebi que as atitudes em me afastar ou não querer  olhar para aqueles que estão conquistando o que eu também gostaria de conquistar, impedem a minha realização.

Percebo também que, na verdade, a maior parte daquilo que desviei o olhar para não sentir o amargo sabor da inveja ou ciúme, não era o que eu realmente queria. O que quero é o Amor que acredito que o outro está sentindo. E isso não está na realização dele, esse Amor está dentro de mim e só se revela quando O aceito na felicidade do outro.

Portanto não se trata de ficar “dentro” da alegria que o outro vivencia, mas de observar o nosso sentimento em relação à ela. Não precisamos agradar o outro que, muitas vezes, realiza suas conquistas com base no sentimento de inveja ou ciúme alheio. Devemos sim, olhar para  a sua realização e abençoá-la com o nosso sentimento de Amor incondicional, pois ele apenas ainda não acordou para a consciência do Amor.

É através de quem observa e aceita a presença do Amor nas realizações existentes, que a consciência de que a felicidade do outro é a minha, entra nos relacionamentos.

Ao exercitar a aceitação de que a felicidade do outro é a nossa, iremos muito além da limitação que costumamos impor a nós mesmos, abrindo espaço para que as relações que escolhemos e as realizações que sonhamos, venham para junto de nós.

 

Autora dos livros

A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox

A Comunicação por meio do Amor – Ed. Scortecci

Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s