Nada, nem ninguém é de ninguém!

Esse título expressa o que realmente senti ao constatar a ausência de posse em relação a bens e às pessoas com quem convivo.

A compreensão de que nada, nem ninguém é de ninguém, me trouxe paz. E difere do que eu acreditei desde sempre, permitindo usufruir, com responsabilidade a abundância existente, e a manter laços de amizade e companheirismo constantes.

Partindo da compreensão de que somos muito mais do que um corpo, ou como li recentemente:“ não somos um corpo que possui uma alma e sim uma alma que possui, temporariamente, um corpo”,  devemos nos sentir livres para termos e convivermos o que quer que  escolhamos.   A forma como vamos usufruir e como as relações serão vivenciadas, serão eleitas pelos sentimentos que vêm da Alma.

O apego instiga a posse criando relações fugazes e limitadas, oferecendo também a sensação de que deveríamos ter e ser mais e, em busca disso, continuamos na ilusão de que o que estamos usufruindo (casa, carro, renda), não é o suficiente, além de cobrar que os relacionamentos sejam desta ou daquela forma, seja ele profissional, amizade, familiar ou afetivo, gerando assim desgastes e afastamentos e, possivelmente, sofrimento.

O sofrimento, que acreditamos ser por conta das mudanças ou dos afastamentos,  nada mais é do que a não aceitação da existência de uma Força interior, que promove mudanças com o objetivo de nos fazer felizes verdadeiramente.

Acreditamos que determinado emprego, pessoa ou situação de vida é o que realmente desejamos para nós e que, se não conseguirmos mantê-los, deixaremos de  ter segurança e ser felizes, quando na verdade a verdadeira segurança, vem exatamente da possibilidade de mudança ou ainda da impermanência dos fatos. Isto porque  ao aceitarmos os acontecimentos sem resistir,  abriremos espaço para a entrada do novo, que poderá ser apenas uma mudança positiva de sentimentos dentro de nós onde, possivelmente, aprenderemos sobre a ausência de posse, enquanto do lado de fora tudo permanecerá igual; ou então acontecerá uma mudança drástica e profunda, que nos levará ao incrível processo de evolução.

E claro, sempre se faz necessário a Aceitação, a Entrega e opção pelo Perdão, pois aí permitimos que o Amor se mantenha presente,  criando a  nova situação ou mudança em nossos sentimentos,  agora com base nele e não mais no apego.

Para quem desconhece a Alma, a única maneira de amar é ter domínio e, com essa forma distorcida de viver os relacionamentos, busca-se prender o outro. Assim, pode-se não permitir que ele viva as suas escolhas, determinando condições para o convívio existir.

Infelizmente venho de uma realidade que aprisiona e limita e, contrário ao que eu pensava, não são só os outros que possuem esse comportamento, ele está também em mim!

Nas relações afetivas, para mudar essa postura de domínio é necessário despertar para a existência e o valor da Alma, compreendendo que é por meio do Amor que emana dela, que iremos vivenciar os relacionamentos cheios de afeto e companheirismo. Ao não liberar o outro para ser e ter tudo o que escolher, estaremos também nos aprisionando, pois tudo o que dou, dou e ofereço a mim mesmo, como sabiamente diz o Um Curso em Milagres.

Os nomes que traduzem esse aprisionamento podem ser os mais variados: ciúme, mágoa, raiva, inveja, enfim, todos os sentimentos que advém do apego.

O Amor romântico é vivenciado através desses sentimentos e não precisamos deixar  a ternura e o carinho de lado, devemos apenas entender que o romance é o “tempero” da relação e que se nos excedermos nele, ela será prejudicada.

Mas o Perdão restaura a verdade em nossas mentes, permitindo que aquilo que deva ser, seja! Portanto, as relações onde o apego está presente impedindo a evolução de ambos, com a aceitação, entrega e opção pelo perdão, serão curadas e transformadas, permitindo um convívio com base no Amor verdadeiro. 

 

Revisão e correção com apoio de Luís Daniel Silla Grecco.

Autora dos livros

A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox

A Comunicação por meio do Amor – Ed. Scortecci

Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s