A DIFÍCIL ARTE DE PARAR

Muitos de nós vivemos em um trem desgovernado. Iniciamos projetos, lutamos para colocá-los em ação e, ao dar certo, não encontramos como deixar que a ambição se reduza e nos permita usufruir os seus frutos.

Mas se observarmos uma árvore frutífera, saberemos que há uma época para plantar, adubar, vê-la florir, iniciar a produzir os frutos e após amadurecer, podemos colher e saborear.

A natureza é sabia, mas nós não costumamos imitá-la: Queremos que os frutos de nossa atividade amadureçam à força, sem dar tempo para que o sabor seja realçado.

O sabor de nossa atividade está nos relacionamentos que vivenciamos enquanto produzimos.

Mas estamos ocupados demais em criticar quem desenvolve a atividade conosco, ocupados demais em olhar a concorrência, ocupados demais em tentar obter novos contratos de trabalhos…

Enfim, ocupados demais em nos ocupar demais para evitar de olhar para quem somos enquanto realizamos!

Ser amável para obter retorno positivo em nossos negócios não significa que nos sentimos verdadeiramente uma pessoa amável.

Devemos observar se amamos a  nós mesmos quando estamos pensando de uma forma e agindo de outra, apenas para ganhar a confiança do outro.

Mas podemos ganhar confiança quando não estamos sendo profundamente verdadeiros?

Há uma crença errônea que diz que, ao sermos transparentes e verdadeiros enquanto realizamos nossas atividades, significa ser ingênuo e possivelmente ser passado para trás ou ainda ser mal educado e agressivo, impedindo a continuidade de determinadas relações profissionais.

Para sermos TRANSPARENTES E VERDADEIROS precisamos nos utilizar de uma ajuda: A ajuda Divina!

Ao nos voltarmos à Ela antes ou mesmo depois de um envolvimento profissional, ACEITANDO o que pretendemos dizer, ENTREGANDO para o nosso Ser e escolhendo PERDOAR, não só o que dissermos, como também o que for dito a nós – tanto positivo como negativo, nos levará ao resultado que desejamos: termos êxito sempre!

É impossível que em uma relação onde o AMOR é convidado a entrar, ambos não saiam ganhando.

O Amor sim! Pois quando optamos em nos utilizarmos da ajuda Divina, é esse sentimento quem dá seguimento às relações, sejam elas profissionais, afetivas ou familiares. E mesmo que os fatos não se apresentem como gostaríamos, ainda assim o Amor está presente! Pois Amor divino difere do amor do ego, esse que parece mas não é.

O Verdadeiro, aquele que faz as mudanças ocorrerem de dentro para fora, deixando-nos satisfeitos, sem necessidade de mais a todo o instante, não leva em consideração as artimanhas que nos mantém em uma roda viva com ilusões infundadas de felicidade e realização.

A verdadeira realização é aquela em que nos sentimos completos com o que está acontecendo conosco em todos os momentos. Nos sentindo seguros sempre, independente do que ocorre no lado de fora de nós, pois, ao nos utilizarmos do Perdão aos fatos estaremos ancorados na Força imutável que habita em nosso interior.

Aí, o PARAR fará parte de nosso andar. Naturalmente faremos paradas para olhar o pôr do sol, ouvir o canto dos pássaros, ouvir e interagir com os nossos amores,  fazer a viagem dos sonhos, enfim fazer paradas para aproveitar verdadeiramente a VIDA, onde a atividade profissional é apenas parte e não a vida!

 

Revisão e correção: Luís Daniel Silla Grecco

Anna Izabel Fagundes

Autora dos livros:

RELAÇÕES DE AMOR SINCERAS – 33 dias para reflexão

A CULPA NÃO É SUA – Perdão, a Essência da Transformação

A COMUNICAÇÃO POR MEIO DO AMOR

O SEGREDO POR TRÁS DO SEGREDO

UMA NOVA LINGUAGEM – O Ego e a Essência

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s