Sem dramas, que tal?

Uma vida sem dramas e apegos parece impossível de ser vivida. Mas é desistindo de utilizarmos esses dois simples e ao mesmo tempo complexos termos em nossas relações, que nos liberamos para a alegria de viver.

Para detectar o apego é necessário perceber a “liga” que nos conecta com o outro, ele gera uma energia de querer mais, precisar mais, mas não nos diz exatamente o quê. Podemos tentar nos afastar mas ele não deixa. Nos faz sofrer, esgota e só com sentimentos como raiva ou dor é que conseguimos nos afastar. Por desconhecer outra forma e não querer nos magoar ou machucar o outro podemos ficar tempo demais envolvidos em um relacionamento, pessoal ou profissional, sem que possamos evoluir.

A bela informação é que não precisamos desistir das situações e relações, precisamos é nos libertar da ilusão que as envolve. O apego existe enquanto acreditarmos, muitas vezes de forma inconsciente, que um relacionamento pode nos oferecer o que nos falta, seja autoestima, companheirismo ou algo material.  Poderemos ficar a existência inteira em relacionamentos com essa expectativa sem nunca realizá-la, pois o outro não consegue nos oferecer aquilo que nós não nos permitimos ter. E quando nos permitirmos não precisamos mais do outro para isso. Aí iremos querer estar juntos para somar e não para subtrair.

O drama, onde estamos sempre envolvidos em situações que não se resolvem ou ainda, onde relatamos constantemente o fato de o outro não estar atendendo o que esperamos dele, é consequência do apego.  É muito difícil sair da roda viva de apego e drama, só conseguimos sair ao despertar para a responsabilidade em resolver os nossos próprios problemas. Vamos perceber que o jogo da culpa se esgotou, sua densa energia não consegue mais se manter nas situações para sustentá-la.

Como parar, sem culpa e medo, esse ciclo que não nos leva a lugar algum?

Tive um sonho, logo que comecei os estudos do UCEM: Estava sentada à mesa com um grupo de pessoas, familiares e amigos,  todos choravam e sentiam pena um do outro, e eu me manifestei dizendo: somos todos iguais, nem mais, nem menos, iguais!!

Acordei com essa mensagem fortemente presente e percebi que havia uma igualdade que eu desconhecia até então, nessa não ficaria presa a situações e pessoas por pena e também não continuaria dependente de outras por acreditar em sua superioridade ou poder. Ao mesmo tempo em que escolhi viver a minha realidade sem tentar corresponder aquilo que eu acreditava que os outros gostariam ou achariam certo.

A igualdade que descobri existir é a igualdade vinda da Essência.

Entendi então que todos nós possuímos a mesma Força internamente, que podemos tomar as rédeas da nossa própria vida, sendo responsável por ser e obter o que desejamos. E para isso acontecer eu não precisaria fazer nada além de Aceitar a minha escolha e a do outro, entregar para a Divindade optando em Perdoar.

A partir daí comecei a ser responsável por mim e escolhi passar à diante essa responsabilidade através da entrega das situações onde, anteriormente, estaria envolvida com o objetivo de ajudar, criando dependência e, de certa forma, ficando dependente.

Para tanto, inicialmente, precisamos da Fé, mas com o exercício constante de aceitação e entrega e perdão,  passamos  para a certeza de que o outro está sendo ajudado pois se nós estamos sendo, não há como ele também não estar.

É dessa forma que rompemos o ciclo de drama e apego: Fazemos por nós e deixamos que o outro faça para si, oferecendo à ele o mesmo apoio Divino que pedimos para nós.  Assim não ficamos apegados e não geramos apego, e o conhecido drama de culpar e reclamar perde sentido e força.

 

Autora dos livros

A Culpa não é Sua – Perdão: A Essência da transformação – Ed. BesouroBox

A Comunicação por meio do Amor – Ed. Scortecci

Relações de Amor Sinceras – Ed. BesouroBox

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s